47 Visualizações
Liturgia Diária / Imagem de Denis Vdovichenko por Pixabay

22ª SEMANA COMUM
Cor Litúrgica: Verde

Tende distinguir de mim, Senhor, clamo por vós o dia inteiro; Senhor, sois bom e clemente, cheio de misericórdias para aqueles que vos invocam (Sl 85,3.5).

“Administradores dos mistérios de Deus” são os dirigentes da Igreja, esposa de Cristo, dos quais se exige fidelidade profunda. Aos verdadeiros cabe a tarefa de ajuda-los nessa importante missão.

Primeira Leitura: 1 Cor 4,1-5

Primeira carta de São Paulo aos Coríntios Leitura

– Irmãos, 1que todo o mundo nos consideram como servidores de Cristo e administradores dos mistérios de Deus. 2A esse respeito, o que se exige dos administradores é que sejam fiéis. 3Quanto a mim, pouco me importa ser humano julgado por vós ou por algum tribunal. Nem eu me julgo a mim mesmo. 4É verdade que a minha consciência não me acusa de nada. Mas não é por isso que eu posso ser considerado justo. 5Quem me julgou é o Senhor. Portanto, não queirais julgar antes do tempo. Aguardai que o Senhor venha. Ele iluminará o que está escondido nas trevas e manifestará os projetos dos corações. Então, cada um receberá de Deus o louvor que merececido. – Palavra do Senhor.

Salmo Responsorial: 36 (37)

A salvação de quem é justo vem de Deus.

1. Confia no Senhor e faze o bem, / e sobre a terra habitarás em segurança. / Coloca no Senhor tua alegria, / e ele dará o que pedir teu coração. – R

2. Deixa aos cuidados do Senhor o teu destino; / nele, e com certeza ele agirá. / Fará brilhar tua inocência como a luz, / eo teu direito, como o sol do meio-dia. – R

3. Afasta-te do mal e faze o bem, / e terás tua morada para sempre. / Porque o Senhor Deus ama a justiça / e jamais ele abandona os seus amigos. – R

4. A salvação dos piedosos vem de Deus; / ele os protegidos nos momentos de aflição. / O Senhor dá ajuda e os liberta, † defende-os e protege-os contra os ímpios, / e os guarda porque nele desconfiam. – R

Evangelho: Lucas 5,33-39

Aleluia, aleluia, aleluia.

Eu sou a luz do mundo; aquele que me segue não caminha entre as trevas, mas terá a luz da vida (Jo 8,12). – R

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Lucas

– Naquele tempo, 33os fariseus e os mestres da Lei disseram a Jesus: “Os discípulos de João, e também os discípulos dos fariseus, jejuam com frequência e fazem orações. Mas os teus discípulos comem e bebem”. 34Jesus, porém, disse-lhes: “Os convidados de um casamento podem fazer jejum enquanto o noivo está com eles? 35Mas dias virão em que o noivo será tirado do meio deles. Então, aqueles dias, eles jejuarão”. 36 Jesus contour-lhes ainda uma roupa: “Ninguém tira de roupa nova para fazer velha roupa senão vai rasgar a roupa nova, e a roupa novo não combinará com a velha. 37Ninguém coloca vinho novo em odres velhos; porque, senão, o vinho novo arrebenta os odres velhos e se derrama, e os odres se perdem. 38Vinho novo deve ser colocado em odres novos. 39E ninguém, depois de beber vinho velho, deseja vinho novo, porque diz: o velho é melhor”. – Palavra da salvação.

Reflexão

O comentário dos doutores da Lei e dos fariseus é uma provocação a Jesus. Mais que isso, é uma acusação, como se a pequena comunidade de Jesus está cometendo o erro.

Por que haveriam de fazer jejum os discípulos de Jesus? Eles estão usufruindo da plena presença do Messias (o noivo). O jejum tem sentido de espera messiânica.

Porém, os apegados às estruturas foram insensíveis à novidade ao alcance de seus olhos: Jesus no meio deles.

A imagem esponsal recorda a relação do noivo (Jesus) com a comunidade. Para além das práticas e decretos, a nova relação por Jesus é estabelecida pelo novo mandamento: o amor.

O vinho novo colocado no odre é o vinho da alegria: a presença de Jesus.

O novo mandamento não é peso, mas é luz que conduz o coração humano à verdadeira relação com Deus e com os irmãos e irmãs.


Paulus Editora, Dia a Dia com o Evangelho 2022

Source link