10 Visualizações
Liturgia Diária / Imagem de Denis Vdovichenko por Pixabay

19ª SEMANA COMUM
Cor Litúrgica: Verde

Considerai, Senhor, vossa Aliança e não abandoneis para sempre o vosso povo. Levantai-vos, Senhor, defendei vossa causa e não desprezais o clamor de quem vos busca (Sl 73,20.19.22s).

O Senhor nos manda saciar-nos de sua Palavra, para podermos transmiti-la aos outros. Sejamos dóceis e frequentadores diários desse alimento salutar, que nos forma em um olhar de amor para os pequeninos de Deus.

Primeira Leitura: Ezequiel 2,8-3,4

Leitura da profecia de Ezequiel

– Assim fala o Senhor: 8“Quanto a ti, Filho do homem, escuta o que eu te digo: não sejas rebelde como esse bando de rebeldes. Abre a boca e vem o que eu te vou dar”. 9Eu olheiro e vi uma mão entregue para mim e, na mão um livro enrolado. Desenrolou-o diante de mim; Estava escrito na frente e no verso e nele havia cantos fúnebres, lamentações e ais. 3,1Ele me disse: “Filho do homem, venha o que tens diante de ti! Venha este rolo e vai falar aos filhos de Israel”. 2Eu abri a boca, e ele me fez comer o rolo. 3Depois, disse-me: “Filho do homem, alimenta teu ventre e sacia as entranhas com este rolo que eu te dou”. Eu o comi, e era doce como mel em minha boca. 4Ele disse-me então: “Filho do homem, vai! Dirige-te à casa de Israel e fala-lhes com as minhas palavras”. – Palavra do Senhor.

Salmo Responsorial: 118 (119)

Como é doce ao paladar vossa palavra, ó Senhor!

1. Seguindo nossa lei, me rejubilo / muito mais do que em todas as riquezas. – R

2. Minha alegria é a vossa aliança, / conselheiros são os meus mandamentos. – R

3. A lei de vossa boca, para mim, / vale mais do que milhões em ouro e prata. – R

4. Como é doce ao paladar, / muito mais doce do que o mel na minha boca! – R

5. Vossa palavra é minha herança para sempre, / porque ela é que me alegra o coração! – R

6. Abro a boca e aspiro largamente, / pois estou ávido de vossos mandamentos. – R

Evangelho: Mateus 18,1-5.10.12-14

Aleluia, aleluia, aleluia.

Tomai meu jugo sobre vós e aprendei de mim, que sou de coração humilde e manso! (Mt 11,29) – R.

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Mateus

– Naquele tempo, 1os discípulos aproximaram-se de Jesus e perguntaram: “Quem é o maior no Reino dos céus?” 2Jesus chamou uma criança, colocaram-a no meio deles 3e disse: “Em vos digo verdade, se não vos converterdes e não vos tornareis como crianças, não entrareis no reino dos céus. 4Quem se faz pequeno como esta criança, esse é o maior no Reino dos céus. 5E quem recebe em meu nome uma criança como esta é a mim que recebe. 10Não menospreze nenhum desses pequeninos, pois eu vos digo que os seus anjos nos céus veem sem cessar a face do meu Pai que está nos céus. 12Que te parece? Se um homem tem cem velhas e uma delas se perde, não deixa ele como noventa e nove montanhas para procurar aquela que se perdeu? 13Em vos digo, se ele vos encontrar, será mais feliz com ela do como noventa e nove que não se separará. 14Do mesmo modo, o Pai que está nos céus não deseja que se perca nenhum desses pequeninos”. – Palavra da salvação.

Reflexão

Jesus coloca a criança no centro. Isso quer dizer que, na comunidade dos discípulos, a primeira preocupação deve ser o cuidado com os pequenos. Para Jesus, a periferia se desloca para o centro. Nada de pretensão de grandeza. Ser grande é servir.

Cabe à comunidade o serviço humilde e corajoso. O maior no Reino de Deus são os pequenos e os que aos olhos do mundo são insignificantes. Ignorá-los é ignorar o próprio Cristo.

Uma comunidade fiel ao mestre também sabe ser acolhedora e bem como é protegida de perder especial ternura pelos caminhos da vida.


Paulus Editora, Dia a Dia com o Evangelho 2022

Source link