25 Visualizações

O arcebispo Charles Scicluna de Malta participa de uma entrevista coletiva no Vaticano nesta foto de arquivo de 8 de outubro de 2018. O arcebispo Scicluna emitiu uma advertência formal em 6 de janeiro contra o padre maltês David Muscat depois que o padre escreveu um post no Facebook que dizia que “ser gay era pior do que estar possuído”. Foto CNS/Paul Haring

O arcebispo Charles Scicluna, de Malta, emitiu uma advertência formal contra um controverso padre local que postou um comentário homofóbico no Facebook.

Em comunicado divulgado em 6 de janeiro, a Arquidiocese de Malta confirmou que o arcebispo Scicluna emitiu a advertência, conhecida como preceito penal, contra o padre David Muscat, ordenando-lhe “parar de fazer comentários inflamatórios e ofensivos em fóruns públicos ou enfrentar a proibição de exercer sua ministério em público”.

“O arcebispo instruiu o padre David Muscat a deletar uma postagem no Facebook, na qual o padre afirmava que ser gay era pior do que ser possuído, e não usar linguagem ofensiva ou ofensiva contra qualquer grupo ou indivíduo”, disse a arquidiocese.

Além disso, o comunicado disse que o arcebispo Sciculuna lembrou ao padre que “de acordo com o ensinamento católico, os membros do clero devem mostrar respeito, compaixão e sensibilidade às pessoas de todas as esferas da vida”.

De acordo com o Times of Malta, o post homofóbico na mídia social foi relatado às autoridades pelo Movimento dos Direitos dos Gays de Malta, levando a polícia a interrogar o padre Muscat por suspeita de crimes de discurso de ódio.

Em 2019, o padre Muscat também foi criticado por supostas declarações anti-imigrantes e por comparar o afluxo de imigrantes ao país como “uma invasão”.

Em uma homilia televisionada em 6 de janeiro, o arcebispo Scicluna disse estar “chocado” com a recente postagem do padre Muscat e pediu desculpas “em nome da Igreja a todos aqueles que foram feridos por essas palavras duras, e suas mães e pais que também se sentem traídos por a Igreja que amam”.

“Não foram palavras de amor, mas pedras lançadas por um coração que precisa aprender a amar mais, como fez Jesus. Deus te ama por quem você é. Aqueles que dizem que amam a Deus, mas odeiam seu irmão, são mentirosos”, disse o arcebispo, segundo o Times of Malta.

Tag: Arcebispo Charles Scicluna, Arcebispo Scicluna, observação homofóbica, Malta Gay Rights Movement, Times of Malta

Categoria: Notícias dos EUA e do mundo

TheCatholicSpirit
#Malta #Padre #recebe #advertência #formal #após #postar #comentário #homofóbico