Rejeite a polarização, tente dialogar para curar o mundo, diz Papa em benção de Natal

O Papa Francisco, em sua mensagem de Natal neste sábado (25), lamentou o aumento da polarização nas relações pessoais e internacionais, dizendo que somente o diálogo pode resolver conflitos que vão desde rixas familiares até ameaças de guerra.

Em sua benção “Urbi et Orbi” (para a cidade e para o mundo), ele pediu que indivíduos e líderes mundiais conversassem entre si ao invés de bater o pé – um distanciamento que, segundo ele, foi agravado pela pandemia Covid-19.

“A nossa capacidade de relacionamento social está duramente sendo posta à prova; há uma tendência crescente de nos afastarmos, de fazermos tudo por nós mesmos, de deixar de se esforçar para encontrar os outros e fazer coisas juntos”, disse ele no balcão central da Basílica de São Pedro, em um Natal chuvoso e ventoso no Vaticano.

“Também a nível internacional corre-se o risco de evitar o diálogo, o risco de que esta complexa crise conduza a atalhos em vez de caminhos mais longos de diálogo. No entanto, só esses caminhos podem conduzir à resolução de conflitos e à benefícios duradouros para todos”, disse ele.

Francisco, que completou 85 anos na semana passada, listou conflitos, tensões ou crises na Síria, Iêmen, Israel, Territórios Palestinos, Afeganistão, Mianmar, Ucrânia, Sudão, Sudão do Sul e outros lugares.

“Continuamos a testemunhar um grande número de conflitos, crises e divergências”, disse ele, falando da mesma varanda onde apareceu pela primeira vez ao mundo como papa após sua eleição em 13 de março de 2013.

“Estes parecem nunca ter fim; a esta altura, mal os notamos. Estamos tão acostumados com eles que imensas tragédias passam agora em silêncio; corremos o risco de não ouvir o grito de dor e angústia de tantos de nossos irmãos e irmãs “, disse ele, falando para uma multidão excepcionalmente pequena, reduzida pelas restrições da Covid-19 e pelo clima para apenas alguns milhares.

Ele pediu a Deus que “dê serenidade e unidade às famílias”, elogiando aqueles que se esforçam para mantê-los e as comunidades unidas em tempos tão divisivos.

“Peçamos-lhe forças para se abrir ao diálogo. Neste dia festivo, imploramos-lhe que desperte no coração de todos o desejo de reconciliação e de fraternidade”, afirmou.

Ele usou a palavra “diálogo”, no total, 11 vezes em um discurso de pouco mais de duas páginas, enquanto falava para as pessoas amontoadas sob capas de chuva e guarda-chuvas.

Francisco pediu a Deus para “prevenir novos surtos de um conflito de longa duração” na Ucrânia, que acusou a Rússia de reunir dezenas de milhares de soldados em preparação para uma possível ofensiva militar em grande escala.

A Rússia nega ter planejado qualquer ataque e acusa a Ucrânia e os Estados Unidos de comportamento desestabilizador, dizendo que precisa de garantias de segurança para sua própria proteção.

O Papa pediu às pessoas que não fossem indiferentes à situação dos migrantes, refugiados, deslocados, presos políticos e mulheres vítimas de violência e pediu aos líderes que protejam o meio ambiente para as gerações futuras.

Em sua missa de véspera de Natal, na sexta-feira à noite na Basílica de São Pedro, Francisco disse que as pessoas indiferentes aos pobres ofendem a Deus e pediu a todos que “olhem além de todas as luzes e decorações” e se lembrem dos mais necessitados.

CNN INTERNACIONAL
#Rejeite #polarização #tente #dialogar #para #curar #mundo #diz #Papa #benção #Natal

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.